Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2019

DEUS É O SENHOR DO TEMPO

Imagem
por Marcia B. Fonseca Uma vez por semana, o Senhor invade nossa rotina e nos lembra que Ele é o Senhor do nosso tempo.   Nos cultos de domingo reconhecemos que Deus é o autor e regente do tempo.   Ele fez o tempo quando separou a luz das trevas e estabeleceu o ciclo dos dias, manhã e tarde, e os organizou em seis dias para trabalho e recreação e um dia para que descansemos em Sua presença.   [Gn1.3-5; Gn2.1-3; Ex20.11].   Por mais que tentemos organizar nosso tempo com calendários e agendas, a vida nos mostra que não somos senhores de nosso próprio tempo. Deus criou o tempo, nos inseriu no tempo e é Ele que nos mostra a maneira correta de usá-lo.   Quando nos submetemos ao seu padrão de tempo reconhecemos que Ele é o Senhor do tempo.   Também, ao ensinarmos nossos filhos a interromperem aos domingos todas as suas atividades para estarem conosco diante do Senhor, nós os ensinamos a soberania de Deus sobre todas as coisas, sobre todos os tempos, todos os desejos, todas

O Milagre da Vida. Jamais despreze "o dia dos humildes começos".

Imagem
Precisamos falar sobre o aborto. Afinal, o que a Bíblia ensina? Compartilhe este vídeo a fim de que mais pessoas conheçam o valor da vida.

Te Deum Laudamus" - "A Ti, Deus, louvamos"

Imagem
O "Te Deum" é um dos primeiros hinos cristãos. Alguns estudiosos atribuem sua autoria a Santo Ambrósio, daí o fato de também ser chamado de “hino ambrosiano”. Outros estudiosos sugerem que a autoria corresponde a Aniceto (também conhecido como “Nicetas”) de Remesiana, no século IV. Especulações à parte, o certo é que ao ouvirmos o coro dos monges Beneditinos do Colégio Interno de Santo Anselmo em Roma, impossível não elevarmos nosso pensamento a Deus. Inscreva-se no nosso canal.

JOHN MACARTHUR JR. EM CINCO MINUTOS

Imagem

SANTO AGOSTINHO - VIDA E PENSAMENTO

Imagem
Santo Agostinho (354-430) foi o mais profundo filósofo da era patrística e um dos maiores gênios teológicos de todos os tempos.

A ESCRITURA NOS ENSINA COERÊNCIA

Imagem
por Marcia B. Fonseca Coerência vem do latim cohaerentia – coesão.   Diz-se que um indivíduo é coerente quando ele tem senso de lógica e quando há coesão entre suas ideias e atos, entre seu discurso e seu agir. Incoerência é então, quando o discurso é cheio de contradições, dúvidas e desconexões, logo seus atos tenderão à instabilidade e à fantasia.   Pesquisas apontam que adolescentes que têm baixo senso de coerência apresentam problemas de saúde mental. Assim, a tendência à depressão, ansiedade e problemas psicossomáticos são comuns neste grupo de indivíduos. Ao contrário, os jovens com alto índice de coerência apresentam melhor qualidade de vida, não aderem com facilidade ao consumo de álcool e drogas e enfrentam melhor as situações adversas, as doenças, os momentos difíceis da vida adulta e até situações limite como períodos de desemprego, carências, até guerras.   A coerência capacita o indivíduo ao enfrentamento e à adaptação ao lidar com a adversidade. C

O LUGAR DA ORAÇÃO - R.C. SPROUL

Imagem
A oração tem um lugar vital na vida de um cristão. Primeiro, ela é um pré-requisito absoluto para a salvação.  A negligência da oração é a maior causa de estagnação na vida cristã. INSCREVA-SE NO NOSSO CANAL E COMPARTILHE.

O EU CRUCIFICADO

Imagem
por   Delmo Fonseca | “Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim”. Gl 2.20 O que se passa na mente daqueles que se encontram no corredor da morte, à espera da execução numa cadeira elétrica? Será que possuem planos para o futuro? Possuem sonhos? Em outras palavras, quais são as perspectivas de um condenado à morte? Disse Jesus: "Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida, a perderá, mas quem perder a vida por minha causa e pelo evangelho a salvará”. (Mc 8:34-35). Sabe-se que na época em que o Senhor proferiu estas palavras, todos os ouvintes viviam num contexto em que o Império Romano, ao condenar um criminoso à crucificação, forçava-o a carregar a própria cruz até o lugar indicado, a não ser em casos em que alguém era chamado para dividir o peso da cruz com o condenado.  Jesus se valeu desta realidade para dizer: "Se alguém quiser vir após mim, negue-se