Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2018

DEPRESSÃO ENTRE PASTORES

Imagem
por Marcia B. Fonseca “Quando sofremos de depressão, desejamos que nossos pregadores, líderes cristãos e conselheiros saibam mais a respeito da prisão dentro da qual sofremos antes de se proporem a falar sobre ela”.  (Zack, E., A Depressão de Spurgeon, SP: Fiel, 2015) A depressão revela-se como um fenômeno clínico que aponta para uma estrutura.  Medicamentos que visam tamponar, nem sempre dão conta dessa dor que desestrutura.  Não se pode saber o tamanho do sofrimento da alma humana.  O risco do suicídio aponta para a gravidade do caso.  Com a proposta de fazer uma reflexão sobre o aumento dos casos de melancolia entre pastores evangélicos, impõe-se uma pergunta e uma preocupação: como esse líder pode remediar o próprio sofrimento com a palavra?  Uma palavra que viabilize a mudança de posição moldada pela tristeza dos aspectos negativos da experiência vivenciada.  Podemos pensar então na depressão como uma retirada de cena.  Uma cena reflexo do real. Uma fu

A LÓGICA DE SARAH

Imagem
A LÓGICA DE SARA por Delmo Fonseca | Ainda que uma pessoa não saiba definir o que é Lógica no seu sentido estrito, poderá, no entanto, identificar se determinada proposição é ou não absurda. O fato é que mesmo antes de os gregos sistematizarem o raciocínio lógico, outras sociedades já possuíam critérios definidores do que era provável ou improvável. Analise a seguinte questão:  no nosso tempo, qual a chance de uma mulher engravidar aos noventa anos? Logicamente as chances são nulas, mesmo não sendo estéril. Mas esta foi a questão de Sara, mulher de Abraão. Ao raciocinar sobre a probabilidade de seu marido vir a ser pai de uma grande descendência por seu intermédio, a conclusão a que Sara chegou pareceu óbvia; “não terei condições, mas minha serva, bem mais jovem do que eu, poderá fazê-lo” (Gn 16.1,2). Semelhantemente, em inúmeras ocasiões, reagimos da mesma forma diante de adversidades cuja solução beira à impossibilidade. Optamos pelo "óbvio". O obje

FÉ E EQUILÍBRIO

Imagem
por Delmo Fonseca | "Ele não permitirá que teus pés vacilem;  aquele que te guarda não se descuida." Sl 121.3 Pés vacilantes produzem desequilíbrio no corpo. O andar manco denuncia esse desajuste.   Há casos em que um simples passo, para quem sequer pode ficar de pé,   já se faz motivo de muita alegria. A Bíblia narra no livro dos Atos dos Apóstolos (3.1-8), que “Pedro e João subiam juntos ao templo à hora da oração, a nona.   E era trazido um homem que desde o ventre de sua mãe era coxo, o qual todos os dias punham à porta do templo, chamada Formosa, para pedir esmola aos que entravam. O qual, vendo a Pedro e a João que iam entrando no templo, pediu que lhe dessem uma esmola. E Pedro, com João, fitando os olhos nele, disse: Olha para nós. E olhou para eles, esperando receber deles alguma coisa. E disse Pedro: Não tenho prata nem ouro; mas o que tenho isso te dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda. E, tomando-o pela mão direita, o

ATÉ AQUI NOS AJUDOU O SENHOR

Imagem
por Delmo Fonseca | Tomou, então, Samuel uma pedra, e a pôs entre Mispa e Sem, e lhe chamou Ebenézer, e disse: Até aqui nos ajudou o SENHOR"  (1Sm 7:12) Grandes escritores se notabilizam por conseguirem dar vida a seus personagens, tornando-os tão “reais”, que parecem ter vida própria. A essa arte literária dá-se o nome de verossimilhança. Um dos mais renomados escritores ficcionais brasileiros, certa feita, disse por meio de uma  de suas criaturas: “Viver é muito perigoso... Porque aprender a viver é que é o viver mesmo... Travessia perigosa, mas é a da vida”. Posto isto, segue-se que refletir a respeito da existência, que precisa ser atravessada, tal como uma ponte ou um deserto, requer coragem, pois viver é extremamente perigoso. E só quem tem coragem encara de frente a realidade do existir, que em essência, é desafiadora. Daí o fato de muitos fugirem e buscarem refúgio nas drogas, no jogo, no álcool, na comida, no sexo, nas compras, na religiosidade, isto