quarta-feira, 12 de setembro de 2018

O CRENTE “NUTELLA” E A PAIXÃO PELO TORTUOSO




por Delmo Fonseca |

Na primeira estrofe do “Poema de sete faces”, Drummond se vale do seu “eu-lírico” para dizer:
“Quando nasci, um anjo torto
desses que vivem na sombra
disse: Vai, Carlos! ser gauche na vida.”

Ao citar os versos do grande poeta itabirano no prelúdio desse texto, pretendo destacar apenas a predileção que muitos têm pela “esquerda”, ainda que desconheçam o verdadeiro sentido do “esquerdismo”.  Drummond sabia das coisas. Até mesmo o anjo conselheiro do seu “eu-lírico” pendia para a esquerda, o que necessariamente o aconselhava a seguir nesta direção: “Vai, Carlos! ser gauche na vida.”  O poeta se utiliza da palavra gauche - um estrangeirismo francês que corresponde a “esquerdo” em nosso português-, para delinear seu destino na vida.  Dessa maneira, ser de esquerda corresponde dialeticamente a pender-se para a “negação”, um dos lados da contradição.

Todo esquerdista convicto sabe que a verdade pode ser atropelada e negada em nome da revolução. Se em sua cosmovisão os fins justificam os meios, por que se importar com a justiça? A lógica, nesse caso, também precisa ser torta a fim de justificar o injustificável. Por esta razão compreende-se porque os inclinados à esquerda mandam às favas a lei, a ordem e a retidão.  Anarquia, baderna, caos e autoritarismo reforçam o modus operandi dos que defendem um mundo torto.  

Sendo assim, o que faz um cristão se apresentar como esquerdista? O que faz com que um pastor defenda uma “teologia” de esquerda? Há duas respostas: desconhecimento do que realmente é o esquerdismo ou deliberado prazer em pender-se para o que é torto. A questão não se trata de uma predileção por este ou aquele partido político, mas por esta ou aquela cosmovisão de mundo. Se no esquerdismo não cabe a ética cristã, por que no cristianismo caberia a lógica esquerdista? Somente crentes “nutellas” veem semelhanças entre Marx e Jesus.

A questão é mais séria do que supõe o cristão indiferente, que não desce do muro e defende o “tanto faz”. É preciso saber que a Palavra de Deus prima pela retidão: “Abominação para o Senhor são os perversos de coração; mas os que são retos em seu caminho são o seu deleite” (Pv 11.20). Aos crentes “nutellas” resta o caminho do arrependimento, pois o evangelho anuncia que “quando vier o Filho do Homem na sua majestade e todos os anjos com ele, então, se assentará no trono da sua glória; e todas as nações serão reunidas em sua presença, e ele separará uns dos outros, como o pastor separa dos cabritos as ovelhas; e porá as ovelhas à sua direita, mas os cabritos, à esquerda”. (Mt 25. 31-33).

Soli Deo Gloria!


Nenhum comentário:

Postar um comentário