quinta-feira, 27 de setembro de 2018

A CEIA DO SENHOR, O BANQUETE DA GRAÇA


No próximo domingo, dia 30 de setembro às 9h, com a permissão de Deus, celebraremos mais uma vez a Ceia do Senhor. Este sacramento, que é um meio de graça, é também um banquete da graça. Somos convidados a olharmos para trás (anunciamos a morte do Senhor); a olharmos para frente (até que ele venha); a olharmos para dentro de nós (autoexame).

A fim de participar deste banquete devemos refletir: “Eu conheço o dono da festa, eu estou em condições de participar desta festa?”  A comunhão nos indica que somos um só corpo, um só rebanho, uma só família, uma só igreja. É preciso que todos saibam disso e participem com discernimento.

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

EXPOSIÇÃO EM ATOS DOS APÓSTOLOS



ATOS 19. 8-22

TEMA: PAULO EM ÉFESO: VENCENDO MAGIAS E SUPERSTIÇÕES

Ao permanecer na cidade de Éfeso, o apóstolo Paulo terá o desafio de pregar o evangelho num ambiente moldado por magia e superstições.  Também se evidenciará que o nome de Jesus não pode ser usado em vão.
Você e sua família são nossos convidados.

Neste domingo, às 9 horas, com o pastor Delmo Fonseca.

COMUNIDADE CRISTÃ GRAÇA E VIDA
Av. Dom Hélder Câmara, 7962 - Piedade – RJ


quarta-feira, 12 de setembro de 2018

O CRENTE “NUTELLA” E A PAIXÃO PELO TORTUOSO




por Delmo Fonseca |

Na primeira estrofe do “Poema de sete faces”, Drummond se vale do seu “eu-lírico” para dizer:
“Quando nasci, um anjo torto
desses que vivem na sombra
disse: Vai, Carlos! ser gauche na vida.”

Ao citar os versos do grande poeta itabirano no prelúdio desse texto, pretendo destacar apenas a predileção que muitos têm pela “esquerda”, ainda que desconheçam o verdadeiro sentido do “esquerdismo”.  Drummond sabia das coisas. Até mesmo o anjo conselheiro do seu “eu-lírico” pendia para a esquerda, o que necessariamente o aconselhava a seguir nesta direção: “Vai, Carlos! ser gauche na vida.”  O poeta se utiliza da palavra gauche - um estrangeirismo francês que corresponde a “esquerdo” em nosso português-, para delinear seu destino na vida.  Dessa maneira, ser de esquerda corresponde dialeticamente a pender-se para a “negação”, um dos lados da contradição.

Todo esquerdista convicto sabe que a verdade pode ser atropelada e negada em nome da revolução. Se em sua cosmovisão os fins justificam os meios, por que se importar com a justiça? A lógica, nesse caso, também precisa ser torta a fim de justificar o injustificável. Por esta razão compreende-se porque os inclinados à esquerda mandam às favas a lei, a ordem e a retidão.  Anarquia, baderna, caos e autoritarismo reforçam o modus operandi dos que defendem um mundo torto.  

Sendo assim, o que faz um cristão se apresentar como esquerdista? O que faz com que um pastor defenda uma “teologia” de esquerda? Há duas respostas: desconhecimento do que realmente é o esquerdismo ou deliberado prazer em pender-se para o que é torto. A questão não se trata de uma predileção por este ou aquele partido político, mas por esta ou aquela cosmovisão de mundo. Se no esquerdismo não cabe a ética cristã, por que no cristianismo caberia a lógica esquerdista? Somente crentes “nutellas” veem semelhanças entre Marx e Jesus.

A questão é mais séria do que supõe o cristão indiferente, que não desce do muro e defende o “tanto faz”. É preciso saber que a Palavra de Deus prima pela retidão: “Abominação para o Senhor são os perversos de coração; mas os que são retos em seu caminho são o seu deleite” (Pv 11.20). Aos crentes “nutellas” resta o caminho do arrependimento, pois o evangelho anuncia que “quando vier o Filho do Homem na sua majestade e todos os anjos com ele, então, se assentará no trono da sua glória; e todas as nações serão reunidas em sua presença, e ele separará uns dos outros, como o pastor separa dos cabritos as ovelhas; e porá as ovelhas à sua direita, mas os cabritos, à esquerda”. (Mt 25. 31-33).

Soli Deo Gloria!


terça-feira, 11 de setembro de 2018

“Ídolos modernos: o ressurgimento da espiritualidade pagã”


I CICLO DE PALESTRAS TEOLOGIA & CONHECIMENTO
Tema “Ídolos modernos: o ressurgimento da espiritualidade pagã”
Ídolo é tudo aquilo que ocupa o lugar de Deus no coração do homem. A propósito, segundo Calvino “o coração do homem é uma fábrica de ídolos”. Partindo desse princípio, a Comunidade Graça e Vida promoverá a 2ª edição do I Ciclo de palestras Teologia & Conhecimento, com o tema “Ídolos modernos: o ressurgimento da espiritualidade pagã”. Na oportunidade o pastor Delmo Fonseca analisará como a retomada da espiritualidade pagã a partir da renascença, passando pelo deísmo iluminista e culminando nos deuses da nova era, tem moldado a cultura contemporânea e de que maneira o cristão deve confrontar esse neopaganismo por meio do evangelho.

COMUNIDADE CRISTÃ GRAÇA E VIDA
Av. Dom Helder Câmara, 7962 - Piedade/RJ
Sàbado, dia 22 de setembro às 16h.


sexta-feira, 7 de setembro de 2018

EXPOSIÇÃO EM ATOS 19. 1- 7



TEMA: Paulo em Éfeso e os discípulos de João Batista

Dando continuidade ao nosso estudo em Atos, neste domingo veremos que o incansável Paulo de volta a Éfeso, em sua 3ª viagem missionária, se depara com a seguinte questão: mostrar a diferença entre o batismo de João e o batismo em nome de Jesus.

Ao serem batizados por Paulo, os discípulos de João se tornaram cristãos. Por quê?
 A confirmação do Espírito Santo implica num batismo em dois estágios?
 O que dizem os continuístas e os cessacionistas sobre este contexto?

Você é nosso convidado. 

Neste domingo, às 9 horas, com o pastor Delmo Fonseca. 
Av. Dom Hélder Câmara, 7962 - Piedade - Rio

terça-feira, 4 de setembro de 2018

“ÍDOLOS MODERNOS: O RESSURGIMENTO DA ESPIRITUALIDADE PAGÔ




I CICLO DE PALESTRAS TEOLOGIA & CONHECIMENTO

Tema “Ídolos modernos: o ressurgimento da espiritualidade pagã”

Ídolo é tudo aquilo que ocupa o lugar de Deus no coração do homem. A propósito, segundo Calvino “o coração do homem é uma fábrica de ídolos”.  Partindo desse princípio,  a Comunidade Graça e Vida promoverá a 2ª edição do I Ciclo de palestras Teologia & Conhecimento, com o tema “Ídolos modernos: o ressurgimento da espiritualidade pagã”. Na oportunidade o pastor Delmo Fonseca analisará como a retomada da espiritualidade pagã a partir da renascença, passando pelo deísmo iluminista e culminando nos deuses da nova era, tem moldado a cultura contemporânea e de que maneira o cristão deve confrontar esse neopaganismo por meio do evangelho.