sábado, 3 de março de 2018

IDEOLOGIA: NÃO QUEIRA UMA PARA VIVER



por Delmo Fonseca |


“Os céus e a terra tomo hoje por testemunhas contra vós, de que te tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe pois a vida, para que vivas, tu e a tua descendência” (Dt 30.19)


Ao perguntar pelo sentido da vida, o ser humano faz um bom uso de sua razão. Talvez pelo fato de muitos não apreciarem o valor da vida, acabam por banalizar a própria existência e desvalorizar a vida do outro. É dessa forma que o homem perverso, o “lobo em pele de cordeiro”, se move no mundo. Para ele a vida não possui valor algum; por isso, sem nenhuma piedade, rouba, mata e destrói. “O ladrão vem somente para matar, roubar e destruir...” (Jo 10.10).

No entanto, há quem queira o melhor da vida e ainda não conheça os meios para obtê-la. Nessas horas as ofertam surgem aos borbotões. A ciência apresenta sua fórmula, a religião anuncia seus propósitos, a ideologia mostra suas artimanhas. O ser humano, que por muito tempo deixou-se guiar por tradições religiosas, com seus variados mitos e ritos, rendeu-se efusivamente ao pragmatismo científico, para logo concluir que a existência ainda carecia de sentido. Como tábua de salvação lhe foi sugerido a adoção de uma ideologia.

Afinal, em que consiste uma ideologia? Grosso modo, ideologia é um conjunto de ideias ou pensamentos de uma pessoa ou de um grupo de indivíduos, tendo como pressupostos uma gama de meias verdades e premissas falsas. Tomemos como exemplo o Comunismo: é uma ideologia que prega a abolição da propriedade privada e o fim da luta de classes (oprimidos x opressores), além da construção de um regime político e econômico que possibilite o estabelecimento da igualdade e justiça social entre os homens. Para a ideologia comunista, os fins justificam os meios. Você acha razoável viver numa sociedade sem liberdade de expressão, liberdade política e econômica, sem liberdade de professar sua fé em Cristo? Os governantes de países como China, Coreia do Norte, Cuba, Venezuela e, recentemente Bolívia, acham muito natural.

Outra ideologia marcante é a do “politicamente correto”, que não admite oposição e discordância. Você poderá ser taxado de homofóbico, machista, racista, moralista, fascista e muitos outros “istas” se não rezar na cartilha da “geração mimimi”.  Um lembrete: depreciar o cristianismo, falar contra a Bíblia e a igreja não tem problema. Criticar outra religião, que não seja a cristã, é intolerância religiosa.  E quanto à “ideologia de gênero”? Este é um caso a ser abordado com mais acuidade em outra oportunidade. Ainda assim muitos cantam: “Ideologia / Eu quero uma pra viver” (Cazuza).  

É lamentável perceber que muitos líderes religiosos se apegam a ideologias em vez de se atentarem ao evangelho de Cristo. Da mesma maneira, é lamentável como determinadas ideologias invadem sutilmente uma boa parte da igreja. E a vida nesta história toda, como saber se há vida no que está sendo transmitido às pessoas?

A resposta está na observação estrita das Escrituras, o que contraria qualquer ideologia. O conhecimento e a prática da Palavra conferem sentido à existência, pois as promessas de Deus se tornam um lastro de esperança. E a vida só tem sentido quando há esperança. E esse lastro é Cristo, âncora da nossa alma... “o caminho, a verdade e a vida” (Jo 14.6).

Soli Deo Gloria!

Nenhum comentário:

Postar um comentário