segunda-feira, 5 de março de 2018

FEBRE VERMELHA: UM SINTOMA DA ESQUERDOPATIA


por Delmo Fonseca |

Esquerdopatia é um neologismo tipicamente brasileiro. O termo cai como uma luva se procuramos, com sinceridade, entender essa “febre vermelha”, fenômeno que se caracteriza por uma paixão pela irracionalidade. Paixão, nesse caso, oriunda do grego pathos, denotando um sentimento doentio.

O Esquerdismo também pode ser comparado a um câncer, que ao produzir metástase, se expande e afeta diversas células do organismo social, dentre elas a família e a igreja.

Segundo o Dr. Lyle Rossiter, um psiquiatra forense e autor do livro  “The Liberal Mind: The Psychological Causes of Political Madness” (“A Mente Liberal: As causas psicológicas da loucura política”)... “a agenda esquerdista recomenda a negação da responsabilidade pessoal, incentiva a autopiedade e autocomiseração; promove a dependência do governo, assim como a indulgência sexual; racionaliza a violência, pede desculpas pela obrigação financeira, justifica o roubo, ignora a grosseria, prescreve reclamação e imputação de culpa; deprecia o matrimônio e a família, legaliza todos os abortos, desafia a tradição social e religiosa; declara a injustiça da desigualdade, e se rebela contra os deveres da cidadania.”

E mais: “Por meio de direitos múltiplos para bens, serviços e status social não adquiridos, o político de esquerda promete garantir o bem-estar material de todos, fornecendo saúde para todos, protegendo a autoestima de todos, corrigindo todas as desvantagens sociais e políticas, educando cada cidadão, assim como eliminando todas as distinções de classe.

“O esquerdismo radical, assim, ataca os fundamentos da liberdade civilizada. Dadas as suas metas irracionais, métodos coercitivos e fracassos históricos, juntamente aos seus efeitos perversos sobre o desenvolvimento do caráter, não pode haver dúvida da loucura contida na agenda radical.

“Só uma agenda irracional defenderia uma destruição sistemática dos fundamentos que garantem a liberdade organizada. Apenas um homem irracional iria desejar o Estado decidindo sua vida por ele, ao invés de criar condições de segurança para ele poder executar sua própria vida. Só uma agenda irracional tentaria deliberadamente prejudicar o crescimento do cidadão em direção à competência, através da adoção dele pelo Estado. Apenas o pensamento irracional trocaria a liberdade individual pela coerção do governo, sacrificando o orgulho da autossuficiência para a dependência do bem-estar. Só um louco iria visualizar uma comunidade de pessoas livres cooperando e ver nela uma sociedade de vítimas exploradas pelos vilões.”

A distorção da realidade é outra loucura típica dos “esquerdopatas”. Com isso ignoram a seguinte advertência do Senhor: “Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo!” (Is 5.20).

Oremos para que o Espírito Santo dê discernimento à família da fé, a fim de que todos os que foram afetados por essa febre sejam curados a tempo de servirem a Deus com mentes saudáveis. “E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus” (Rm 12.2).

Soli Deo Gloria!

Nenhum comentário:

Postar um comentário