terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

CURA-NOS, SENHOR, E SEREMOS CURADOS


por Delmo Fonseca |

É sabido que a Lei de Moisés proibia um leproso de se aproximar de qualquer pessoa saudável. Ainda assim, este deveria gritar de longe “imundo, imundo”, a fim de alertar a todos contra a contaminação. O que observamos no relato de Marcos (1.40) nos faz pensar profundamente no amor de Deus: “E aproximou-se dele um leproso que, rogando-lhe, e pondo-se de joelhos diante dele, lhe dizia: Se quiseres, podes purificar-me.” 

O evangelista destaca a atitude de um leproso galileu, que ao ver Jesus, também viu a oportunidade de deixar para trás toda a dor e sofrimento. Ele sabia que não podia se aproximar de qualquer um, mas Jesus não era “qualquer um”. O seu conhecimento a respeito de Jesus o faz apresentar-se diante do Senhor “rogando-lhe, e pondo-se de joelhos”. A noção de que não tinha direito de exigir nada de Deus, mas aceitar sua vontade o faz confessar: “Se quiseres, podes purificar-me.”

A partir deste contexto bíblico podemos constatar que a cura de uma enfermidade física, ainda que improvável aos olhos naturais, pode ser alcançada com mais brevidade se o coração já estiver rendido ao Senhor. A resposta de Jesus ao coração rendido deste leproso foi esta: “Quero, fica limpo. No mesmo instante, lhe desapareceu a lepra, e ficou limpo” (Mc 1.41.42).

É certo que há muitos que precisam de um milagre, de um toque especial de Jesus em suas vidas, mas fica a pergunta: quantos, à semelhança do leproso, estão dispostos a se renderem, colocarem-se de joelhos diante de Cristo, reconhecerem sua condição de “enfermos” espirituais? Ou seja, quem está disposto a se render?

A Escritura nos garante que “Jesus Cristo é o mesmo, ontem, hoje e eternamente” (Hb 13.8). O que significa que sua disposição em nos ajudar permanece a mesma. No entanto, há que se considerar o fato de que só podemos nos aproximar dele por meio da fé. O leproso tinha fé. Esta não é resultado de um mero desejo, mas fruto de conhecimento. O leproso sabia quem era Jesus, conhecia as profecias a seu respeito, cria na sua autoridade. “Se quiseres, podes purificar-me.”

E por que há tanto sofrimento? No livro do profeta Oseias (4.6), o Senhor responde: “O meu povo sofre porque lhe falta o conhecimento”. Sem o conhecimento da Verdade, que se plenifica em Cristo, o que temos é escravidão, pessoas guiadas pelo medo, atraídas por promessas vãs, ludibriadas por falsos mestres. 

A experiência do leproso expressa a condição humana: estamos enfermos e precisamos de Jesus, o médico dos médicos. “Os sãos não necessitam de médico, mas, sim, os que estão doentes; eu não vim chamar os justos, mas, sim, os pecadores ao arrependimento” (Mc 2.17). A nossa oração é para que o amor de Deus nos toque sempre, nos cure sempre a fim de que tenhamos uma vida espiritual saudável, como nos ensina o profeta Jeremias (17.14): “Cura-nos, Senhor, e seremos curados, salva-nos, e seremos salvos; porque tu és o nosso louvor”.


Soli Deo Gloria!


Nenhum comentário:

Postar um comentário