terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

CORAÇÃO DE PEDRA, CORAÇÃO DE CARNE


por Delmo Fonseca |

“Outra parte caiu em solo rochoso, onde a terra era pouca…” – Mt 13.5

A parábola do semeador é uma das ricas ilustrações feitas por Jesus. A narrativa mostra que o Mestre conhecia muito bem o ofício de plantar e colher, além de também ser um exímio contador de histórias. Mas o que nos interessa em nosso texto é a parte em que a semente cai em solo rochoso. Há quase sempre uma camada de terra sobre esse tipo de solo, o que faz com que a semente lançada brote e se desenvolva por um pequeno intervalo de tempo. Ao se depararem com a camada rochosa as raízes se veem impedidas de continuarem sua trajetória. Elas não conseguem perfurar a rocha, logo não encontram água para sua sobrevivência. E a planta morre.

Jesus nos ensina que a semente que cai em solo rochoso não vinga, embora cresça rapidamente. Em termos espirituais o que é um solo rochoso? Podemos dizer que é o coração de pedra. Sim, há corações duros como uma rocha. No entanto esses corações enganam, pois rapidamente a semente brota, logo após definha e morre.

O evangelho de Cristo é uma semente. Muitos, ao ouvirem as boas novas da salvação, ao saberem da justificação e redenção pela fé, ao conhecerem o pacto da graça, ficam eufóricos e saem pelo mundo afora saltitantes de alegria. Contudo, ao sinal do primeiro problema, da primeira frustração, murcham e sucumbem. São “fogo de palha”. Por que isso acontece? Simplesmente porque a palavra se depara com um coração de pedra, o que impede o aprofundamento de suas raízes. O que se segue é que não há planta, fruto nem sementeira. 

As dificuldades da vida se assemelham ao sol que queima as folhas já murchas por falta de água no solo. Um coração de pedra não retém a água do Espírito, por isso as palavras se evaporam com muita facilidade. Os que creem em Jesus são comparados à terra fértil: “Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva” (Jo 7.38).

Pode-se transformar um coração de pedra em coração de carne? Por meio da fé em Cristo, sim. Estes são os que se arrependem de suas obras más, do engano da autossuficiência, da rebeldia crônica. Assim, passam a viver pela fé tão-somente, convencidos de que seus méritos não contam para a salvação, aprofundam suas raízes ainda mais no conhecimento do evangelho de Cristo, experimentam uma vida nova, isto é, produzem frutos por meio do Espírito, não possuindo mais um coração de pedra, mas de carne.

Nestes também se cumpre a promessa do Senhor a fim de que a semente se desenvolva para a glória de Deus: “Então aspergirei água fresca e límpida, e ficareis purificados; e vos darei um novo coração e derramarei um espírito novo dentro de cada um de vós; arrancarei de vós o coração de pedra e vos abençoarei com um coração de carne” (Ez 36.25a-26).


Soli Deo Gloria!

Nenhum comentário:

Postar um comentário