segunda-feira, 12 de novembro de 2018

MARXISMO E CRISTIANISMO: UM DIÁLOGO IMPOSSÍVEL.




A Comunidade Cristã Graça e Vida é uma igreja bíblica de confissão reformada, e portanto tem a Bíblia como sua única regra de fé e prática. 

Por acreditarmos que a vocação missionária é uma das características da igreja de Cristo e por sabermos que a resposta para todas as angústias contemporâneas é Jesus Cristo e seu evangelho salvífico,  prosseguimos com o I CICLO DE PALESTRAS - TEOLOGIA E CONHECIMENTO – cujo propósito é analisar as questões sociais e culturais, suas nuances e vicissitudes, a partir da cosmovisão cristã, permitindo a família da fé compreender, se situar, responder e enfrentar seus desafios cotidianos com a Palavra de Deus. 

Seguindo este encaminhamento, a 3ª edição desse ciclo de palestras abordará o seguinte tema: MARXISMO E CRISTIANISMO: UM DIÁLOGO IMPOSSÍVEL.  Não há conciliação entre o Marxismo e o Cristianismo. As duas cosmovisões são antagônicas e mutuamente excludentes. Nas palavras de Vladimir Tismaneanu, professor de Ciências Políticas na Universidade de Maryland, o marxismo é ‘mnemofóbico’ (hostil à memória), ‘axiofóbico’ (hostil aos valores) e ‘noofóbico’ (hostil ao espírito). Sendo assim, por que tantas pessoas ainda são seduzidas por essa ideologia materialista? Por que o caldo cultural contemporâneo é temperado com ideias marxistas, de modo que os diversos setores da sociedade, até mesmo a igreja, se veem enredados por esta “religião política”?

A palestra será apresentada no segundo sábado de dezembro, dia 8, às 16 horas pelo Pr. Delmo Fonseca.

Você e sua família são nossos convidados!

COMUNIDADE CRISTÃ GRAÇA E VIDA 

Av. Dom Helder Câmara, 7962 - Piedade/RJ

sexta-feira, 9 de novembro de 2018



TEMA:  PAULO, CIDADÃO ROMANO

Ao saber que Paulo era cidadão romano, o comandante suspendeu o castigo e ficou bem alarmado. O que o levou a essa reação? Neste domingo, dia 11, estudaremos  como o apóstolo dos gentios enfrentou seus algozes em Jerusalém.

Você e sua família são nossos convidados.

quinta-feira, 8 de novembro de 2018

FÉ E EQUILÍBRIO



por Delmo Fonseca |

"Ele não permitirá que teus pés vacilem; 
aquele que te guarda não se descuida."
Sl 121.3



Pés vacilantes produzem desequilíbrio no corpo. O andar manco denuncia esse desajuste.  Há casos em que um simples passo, para quem sequer pode ficar de pé,  já se faz motivo de muita alegria. A Bíblia narra no livro dos Atos dos Apóstolos (3.1-8), que “Pedro e João subiam juntos ao templo à hora da oração, a nona.  E era trazido um homem que desde o ventre de sua mãe era coxo, o qual todos os dias punham à porta do templo, chamada Formosa, para pedir esmola aos que entravam. O qual, vendo a Pedro e a João que iam entrando no templo, pediu que lhe dessem uma esmola. E Pedro, com João, fitando os olhos nele, disse: Olha para nós. E olhou para eles, esperando receber deles alguma coisa. E disse Pedro: Não tenho prata nem ouro; mas o que tenho isso te dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda. E, tomando-o pela mão direita, o levantou, e logo os seus pés e artelhos se firmaram. E, saltando ele, pôs-se em pé, e andou, e entrou com eles no templo, andando, e saltando, e louvando a Deus.”

Esse episódio nos coloca na direção do entendimento que queremos compartilhar: à semelhança de um corpo claudicante, nossa alma também carece de ajustes a fim de darmos passos firmes no caminho que conduz à vida. Pedro e João tinham plena certeza de quem eram e a quem serviam. Pedro, ao falar com o homem que lhe pediu esmola, respondeu: “Não tenho prata nem ouro; mas o que tenho isso te dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda. E, tomando-o pela mão direita, o levantou, e logo os seus pés e artelhos se firmaram.”  A promessa de vida consiste em termos passos firmes se quisermos seguir a Cristo.

Uma fé que titubeia não consegue se manter de pé. Pode-se dizer que uma fé claudicante, manca, faz a pessoa tropeçar ante o menor obstáculo. Era contra esse tipo de fé que o profeta Elias lutava: "Então se chegou a todo o povo, e disse: Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o Senhor é Deus, segui-o, e se Baal, segui-o. Porém o povo nada lhe respondeu" (1 Reis 18.21).
Elias queria que o povo tomasse uma posição, não ficasse em “cima do muro”, pois sabia que um pensamento dividido levaria ao insucesso. Da mesma forma esse raciocínio se aplica à graça de Deus. Não se pode acolher a graça como visão teológica e na prática desconsiderar o sacrifício vicário e perfeito de Cristo, “porque pela graça somos salvos, por meio da fé; e isto não depende de nós, é dom de Deus. Não depende das nossas obras, para que ninguém se glorie”(Ef 2.8-9).

Em suas cartas, o apóstolo Paulo nos assegura que é por meio da graça que firmamos nossa fé.  Não há mais espaço para o mérito próprio revestido de religiosidade. “Porquanto, se é pela graça, já não o é mais pelas obras; caso fosse, a graça deixaria de ser graça”.

A graça  firma nossos passos ao nos dar segurança, ao nos colocar sem véu diante de uma realidade espiritual denominada “reino de Deus”. Não há meio termo, não se poder servir a Deus e a homens, não se pode buscar o reino de Deus e ao mesmo tempo depositar as esperanças no reino dos homens. A razão de muitos de nós não vislumbrarmos uma vida de alegria e paz está no pensamento trôpego, na fé vacilante. “Não pense tal homem que receberá do Senhor alguma coisa. O homem de coração dobre é inconstante em todos os seus caminhos” (Tg 1.7-8). Um coração dobre pode ser entendido como uma mente dividida, que produz pensamentos difusos, emoções dúbias e incertezas.

O nosso Deus e Pai, em comunhão com o Filho e o Espírito Santo, nos convida a uma renovação de pensamento onde o medo dê lugar à fé, pois sem fé é impossível agradá-lo. Com seu amor eterno, Deus nos acolhe em seus braços, sara nossas feridas e renova nossas esperanças de modo que esta seja nossa oração: "Restabelecei as mãos descaídas e os joelhos trôpegos; e fazei caminhos retos para os nossos pés, para que não se extravie o que é manco, antes seja curado" (Hb 12.12-13).

Soli Deo Gloria!

segunda-feira, 5 de novembro de 2018

ATÉ AQUI NOS AJUDOU O SENHOR


por Delmo Fonseca |

Tomou, então, Samuel uma pedra, e a pôs entre Mispa e Sem, e lhe chamou Ebenézer, e disse: Até aqui nos ajudou o SENHOR" (1Sm 7:12)

Grandes escritores se notabilizam por conseguirem dar vida a seus personagens, tornando-os tão “reais”, que parecem ter vida própria. A essa arte literária dá-se o nome de verossimilhança. Um dos mais renomados escritores ficcionais brasileiros, certa feita, disse por meio de uma  de suas criaturas: “Viver é muito perigoso... Porque aprender a viver é que é o viver mesmo... Travessia perigosa, mas é a da vida”.

Posto isto, segue-se que refletir a respeito da existência, que precisa ser atravessada, tal como uma ponte ou um deserto, requer coragem, pois viver é extremamente perigoso. E só quem tem coragem encara de frente a realidade do existir, que em essência, é desafiadora. Daí o fato de muitos fugirem e buscarem refúgio nas drogas, no jogo, no álcool, na comida, no sexo, nas compras, na religiosidade, isto é, em tudo que vicia, entorpece e embota os sentidos.

É preciso ter coragem para renunciar aos apelos do mundo, que se recusa a abandonar os que nele se adaptam. Sim, o mundo tende a abraçar a todos que o procura. E mais: o mundo obscurece a todos, pois nele não há luz, somente trevas. A razão de muitos se recusarem a vir para a luz é porque precisarão mostrar suas obras e, nesse caso, não há nada de bom a ser mostrado. “Pois todo aquele que pratica o mal odeia a luz e não se aproxima da luz, temendo que as suas obras sejam expostas. Mas quem pratica a verdade vem para a luz, para que se veja claramente que as suas obras são realizadas em Deus” (Jo 3. 20,21).

Os que são da luz e estão na luz conseguem ver de maneira mais nítida como o mundo funciona. Sabem que o mundo jaz no maligno (1Jo 5.19) e que o mal não descansa. Enganam-se aqueles que pensam que estão isentos de problemas enquanto servem ao Senhor. De modo algum. O inimigo se enfurece e com todos seus ardis parte para o ataque, pois servir a Deus é participar da luz que afugenta as trevas. Veja este exemplo:

A Bíblia registra que enquanto Samuel sacrificava ao Senhor, os filisteus se insurgiram contra Israel. Então o Senhor fez trovejar os céus e os filisteus fugiram amedrontados, sendo perseguidos e derrotados pelos soldados de Israel. "Tomou, então, Samuel uma pedra, e a pôs entre Mispa e Sem, e lhe chamou Ebenézer, e disse: Até aqui nos ajudou o SENHOR" (1Sm 7:12).

A palavra Ebenézer  significa "pedra de ajuda" ou "pedra de socorro”. Num primeiro momento, Israel havia perdido a batalha para os filisteus perto de uma aldeia chama Ebenézer (1Sm 4.1), os quais confiscaram a Arca da Aliança. Mas o problema não estava na força e competência dos filisteus e sim na rebeldia de Israel. Num segundo momento, após o coração do povo ter se voltado para Deus, um novo ataque dos filisteus não surtiu efeito, daí o fato de Samuel ter tomado uma pedra e mostrado ao povo que o Senhor é a verdadeira PEDRA de ajuda ou socorro.

Quando recorremos a Cristo devemos ter em mente que o nosso Salvador é a Pedra Angular do edifício de Deus, a igreja. A verdadeira ebenézer, “pedra de ajuda”, é Cristo. Como igreja somos “edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, sendo o próprio Cristo Jesus a principal pedra angular desse alicerce” (Ef 2.20).

Diante de tantas situações adversas, em muitos casos, a tendência dos que estão na luz é pensar em fugir, tal como expressou Davi: “Quem me dera ter asas de pomba para voar e encontrar um abrigo!” Sim, eu fugiria para longe, para ficar no deserto.…” (Sl 55.6,7). Mas é preciso ter coragem para continuar a travessia.

Embora o mundo seja hostil, encoberto por densas trevas, a igreja foi vocacionada para ser luz. E um luzeiro fincado sobre uma rocha será sempre a referência para quem se põe a caminho do céu, tendo em cada passo a seguinte certeza: “até aqui nos ajudou o Senhor”. E o melhor: sabendo que não se trata de uma ficção. 

sábado, 3 de novembro de 2018

EXPOSIÇÃO EM ATOS DOS APÓSTOLOS - ATOS 21.37-40 - 22.22



TEMA: A DEFESA DO APÓSTOLO PAULO

Em seu tempo, Paulo também fora vítima de 'fake news'. Sob a acusação de ensinar os demais judeus a serem contra a lei, os costumes e o templo, o apóstolo sofrera agressões e terminara preso. Diante desse fato ele apresenta sua defesa.
Você e sua família são nossos convidados.

quinta-feira, 1 de novembro de 2018

A ESQUERDA DIANTE DO ESPELHO




por Delmo Fonseca|


"Grama que a esquerda pisou não cresce nunca mais."
Margaret Thatcher


“Acuse os adversários do que você faz, chame-os do que você é”. Embora o senso comum atribua erroneamente esta máxima a Lênin, na prática o que se constata por parte dos “progressistas” é exatamente isso. Eles agem como se estivessem diante de um espelho, em que o outro é reflexo de si. Quando acusam o oponente de intolerante e idiota, por exemplo, apenas projetam o que eles são. Não nos esqueçamos de que o esquerdismo é uma cosmovisão. E quem olha a realidade pelas lentes da esquerda sente-se tentado a ajustar o mundo à sua maneira.

O esquerdista relativiza seu ódio chamando-o de “ódio revolucionário” ou, como pregam os socialistas de iPhone, “ódio do bem”. Como se não bastasse a solidariedade seletiva, em que somente os inclinados à esquerda sofrem as mazelas do mundo e são as vítimas preferenciais, temos a justiça reversa. O esquerdista pode cuspir, xingar, roubar, mentir ou achincalhar quem o contraria, pois ao fim terá sempre a complacência de seus pares. Não se iludam, meus amigos, todo fanatismo é uma doença.

Para além desta aparente luta entre progressistas e conservadores, há uma batalha espiritual. Quando um cristão escolhe lutar e defender valores que se coadunam com o conservadorismo, o que está em jogo transcende a mera defesa de uma ideologia de direita. Aos olhos de um esquerdista-raiz (marxista), o cristianismo é tão-somente um ópio cuja função é entorpecer as pessoas. No entanto, o mais lamentável ainda, é saber que muitos se intitulam cristãos socialistas.

Mais uma vez se aplica a lógica inversa, pois o mundo encontra-se entorpecido pela narrativa da esquerda e seu relativismo moral. Nesse caso, verdadeiro e falso não se ancoram num ponto fixo, como creem os cristãos ao nortearem suas vidas pela lei de Deus, antes, verdadeiro e falso se configuram como valores flutuantes e mutáveis conforme o sentimento vigente.

Sendo assim, meus amigos, não se espantem quando ouvirem um esquerdista vociferando e acusando seu oponente de fascista, conservador, antidemocrático ou intolerante, pois tais esquerdistas apenas expressam o que veem no espelho. “Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que põem as trevas por luz, e a luz por trevas, e o amargo por doce, e o doce por amargo.” – Is 5.20.

Soli Deo Gloria!



sábado, 27 de outubro de 2018

CEIA DO SENHOR - OUTUBRO


No próximo domingo, dia 27 de outubro às 9h, com a permissão de Deus, celebraremos mais uma vez a Ceia do Senhor. Este sacramento, que é um meio de graça, é também um banquete da graça. Somos convidados a olharmos para trás (anunciamos a morte do Senhor); a olharmos para frente (até que ele venha); a olharmos para dentro de nós (autoexame).

A fim de participar deste banquete devemos refletir: “Eu conheço o dono da festa, eu estou em condições de participar desta festa?”  A comunhão nos indica que somos um só corpo, um só rebanho, uma só família, uma só igreja. É preciso que todos saibam disso e participem com discernimento.

EXPOSIÇÃO EM ATOS DOS APÓSTOLOS 21.18-36



TEMA: A PRISÃO DE PAULO EM JERUSALÉM

Na segunda parte do cap. 21 Lucas narra o seguinte fato: ao chegar em Jerusalém, a cerreira de Paulo mudou de forma abrupta. Ele foi atacado, capturado, preso e julgado. Qual a razão?

Você e sua família são nossos convidados.

sábado, 20 de outubro de 2018

EXPOSIÇÃO EM ATOS DOS APÓSTOLOS - 21.1-17


TEMA: COMO DISCERNIR A VONTADE DE DEUS?

Na 1ª parte do cap. 21 Lucas narra a viagem de Paulo de Mileto a Jerusalém. Ele enfatiza o alerta dos crentes de Tiro e Cesareia para que Paulo não voltasse a essa cidade. Mesmo diante do apelo de seus amigos, Paulo estava convencido pelo Espírito de que deveria seguir viagem. 
Como discernir a vontade de Deus?

Você e sua família são nossos convidados.

sábado, 13 de outubro de 2018

EXPOSIÇÃO EM ATOS DOS APÓSTOLOS - ATOS 20.17-38


TEMA: MENSAGEM AOS PRESBÍTEROS DE ÉFESO

“Mas em nada tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria minha carreira e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do Evangelho da graça de Deus”. Atos 20: 24.

A mensagem aos presbíteros de Éfeso é o terceiro discurso de Paulo em Atos. O primeiro foi dirigido aos judeus (cap. 13) e, o segundo, aos gentios (cap. 17). O objetivo do apóstolo era aconselhá-los a seguir seu exemplo.

Você e sua família são nossos convidados.

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

O MANTRA DOS PAPAGAIOS

por Delmo Fonseca|
 
‘Nunca antes na história deste país’ os apedeutas se mostraram tão arrogantes. O uso indiscriminado da palavra fascista por aqueles que sequer sabem o que é fascismo, gera a ilusão de que estão do lado do “bem”, enquanto o outro propaga o discurso do “ódio”.  Quem reage aos ideais totalitários da esquerda é fascista; quem usa as cores da bandeira do seu país é fascista; quem combate a ideologia de gênero é fascista; quem defende os valores da família é fascista; quem defende a autoridade dos pais é fascista; quem assume sua identidade de cristão é fascista; quem se opõe ao retorno dos quadrilheiros ao comando da nação é fascista; quem defende o liberalismo econômico também é fascista. Em outras palavras, aquele que não reza na cartilha do “politicamente correto” reforça a fila dos fascistas. Eis a constatação: pouca gente sabe exatamente o que diz quando usa essa expressão.

Sabe-se também que dos termos popularizados na política, o fascismo é um dos mais imprecisos. Segundo o Dicionário histórico dos fascismos e do nazismo[i], “não existe nenhuma definição universalmente aceita do fenômeno fascista, nenhum consenso, por menor que seja, quanto à sua abrangência, às suas origens ideológicas ou às modalidades de ação que o caracterizam”. Sendo assim, por que os esquerdistas vociferam “fascistas, fascistas” sem ao menos saber o que significa? A resposta é simples: o termo se presta ao insulto. Na falta de argumento, insulta-se.

Para entendermos o fenômeno fascista, melhor é entendermos o que se opõe ao fascismo. Este é antiliberal, isto é, o liberalismo é seu inimigo mortal. Benito Mussolini[ii] considerava o liberalismo uma espécie de “religião desconhecida”, que ao dominar o século XIX, devia ser superado a fim de dar lugar ao fascismo no século XX. No entender de Mussolini a liberdade individual, econômica, política, religiosa e intelectual em oposição à tutela do Estado, apresentava uma grande ameaça. Não por acaso, seu lema era: “Tudo para o Estado, nada contra o Estado, nada fora do Estado”. Ou seja: o Estado é um deus.

Não é estranho o fato de os defensores do totalitarismo estatal vir a público acusar os adeptos do liberalismo de “fascistas” e “pregadores do ódio”? Não, não há nada de estranho nessa atitude. Uma frase erroneamente atribuída a Winston Churchill, porém correta em sua conclusão, afirma que “os fascistas do futuro chamariam a si mesmos de antifascistas”. Esse futuro chegou. Outros aspectos do fascismo como o populismo e o autoritarismo são temas para outro texto. Por hora, o que devemos compreender é que de tempos em tempos os verdadeiros fascistas surgem e ensinam um novo mantra aos papagaios de plantão: “curupaco, curupaco, fascista, racista, machista!”

_____________
Notas:

[i] Serge BERSTEIN et Pierre MILZA, Dictionnaire historique des fascismes
et du nazisme, Bruxelles, Éditions Complexe, 1992.

[ii] Benito Mussolini (1883-1945) foi um político italiano.  Líder do Partido Fascista, fundado
em 1919, no final da Primeira Guerra Mundial.

sábado, 6 de outubro de 2018

EXPOSIÇÃO EM ATOS DOS APÓSTOLOS 20.13-16



NO DIA DO SENHOR, O EVANGELHO PRECEDE A POLÍTICA

EXPOSIÇÃO EM ATOS DOS APÓSTOLOS
 AMANHÃ - 9 HORAS

ATOS 20.13-16

TEMA: DE TRÔADE A MILETO: A PRUDÊNCIA DE PAULO

O apóstolo tinha uma meta, qual seja, chegar a Roma. Antes, porém, precisava chegar em Jerusalém. Ele sabia dos perigos que lhe cercavam, desde a exposição em um navio até o retorno a uma cidade como Éfeso.
Porque Paulo tinha um alvo, ele também buscava os melhores meios para atingir esse alvo.

Você e sua família são nossos convidados.

Neste domingo, às 9 horas, com o pastor Delmo Fonseca.

COMUNIDADE CRISTÃ GRAÇA E VIDA
Av. Dom Hélder Câmara, 7962 - Piedade – RJ

terça-feira, 2 de outubro de 2018

CONTRA OS ESPÍRITOS DE PORCO




por Delmo Fonseca |
 “A revolução se faz através do homem.
Mas o homem tem que forjar,
 dia a dia, o espírito revolucionário” - Che Guevara

Em meados dos anos 80, a Legião Urbana já preconizava o que viria a ser uma sociedade desnorteada: “Somos os filhos da revolução / Somos burgueses sem religião / Somos o futuro da nação / Geração Coca-Cola” (in Geração Coca-Cola, de Dado Villa-Lobos e Renato Russo). Passados quase 30 anos, nos vemos diante de um assombroso tempo em que a solidez dos conceitos, das instituições e dos valores foi suplantada pela ideia de fluidez. O caráter impermanente, próprio do que é gasoso, a exemplo da Coca-Cola, passou a ser aplicado a quase todas as coisas.

Subjacente a tudo isso, há um “espírito” dito revolucionário, que nas palavras de Condorcet (1743-1794)[i], “é um espírito apto a produzir, a dirigir uma revolução feita em favor da liberdade”. E mais: “um homem revolucionário é aquele que se vincula aos princípios da revolução, que age por ela, que está disposto a se sacrificar para sustentá-la”. Nesse sentido, tudo cabe na lógica revolucionária: o roubo, o engano, a falsidade, o medo, o ódio e a idolatria. Ou seja: tudo pela revolução. Cabe lembrar que essa liberdade advinda da revolução se refere à coletividade e não ao indivíduo. A liberdade e a vontade deste são sacrificadas em prol da liberdade e da vontade do coletivo, o qual pode ser denominado Estado, Pátria Grande etc.

O “espírito” revolucionário é, por natureza, subversivo. Tudo o que remete à tradição deve ser suplantado em nome do “novo”. Mas o que a geração Coca-Cola, outrora autonomeada “futuro da nação”, chama de novo? Vejamos: individualismo, hedonismo, consumismo, narcisismo, niilismo, ausência de valores, dentre outros. Porém sabemos que “nada há de novo debaixo do sol” (Ec 1.9). O “espírito” revolucionário é o mesmo espírito do engano que se manifestou no Éden por meio da serpente (Gn 3.1), em Babel por meio de Ninrode (Gn 10.8), em Judá por meio de Absalão (2Sm 16.20).  Esse é o espírito do mundo, quiçá imundo, “espírito” de porco.

Vale lembrar que “nós, porém, não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito procedente de Deus, para que entendamos as coisas que Deus nos tem dado gratuitamente” (1 Co 2.12). A partir da noção de que vivemos num mundo caído, devemos nos atentar para o fato de que esse mundo possui uma moldura caótica, informe, que a todo instante busca “ser” algo novo e forjado por revoluções. É necessário discernir os espíritos.

Sendo assim, ao contrário do “espirito” de porco, que por meio de revoluções vislumbra o paraíso aqui, aquele que crê no Senhor sabe que o novo se refere à verdade do evangelho, que o leva a viver em novidade de vida, a crer numa vida alhures, para além deste mundo. Sua liberdade se efetiva em Cristo; sua alegria se realiza em Cristo; sua esperança é Cristo. Portanto, “aquele que se une ao Senhor é um só espírito com Ele!” (1Co 6.17).



 Nota

1. Marie Jean Antoine Nicolas de Caritat, marquês de Condorcet; pensador, matemático e revolucionário francês.

quinta-feira, 27 de setembro de 2018

A CEIA DO SENHOR, O BANQUETE DA GRAÇA


No próximo domingo, dia 30 de setembro às 9h, com a permissão de Deus, celebraremos mais uma vez a Ceia do Senhor. Este sacramento, que é um meio de graça, é também um banquete da graça. Somos convidados a olharmos para trás (anunciamos a morte do Senhor); a olharmos para frente (até que ele venha); a olharmos para dentro de nós (autoexame).

A fim de participar deste banquete devemos refletir: “Eu conheço o dono da festa, eu estou em condições de participar desta festa?”  A comunhão nos indica que somos um só corpo, um só rebanho, uma só família, uma só igreja. É preciso que todos saibam disso e participem com discernimento.

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

EXPOSIÇÃO EM ATOS DOS APÓSTOLOS



ATOS 19. 8-22

TEMA: PAULO EM ÉFESO: VENCENDO MAGIAS E SUPERSTIÇÕES

Ao permanecer na cidade de Éfeso, o apóstolo Paulo terá o desafio de pregar o evangelho num ambiente moldado por magia e superstições.  Também se evidenciará que o nome de Jesus não pode ser usado em vão.
Você e sua família são nossos convidados.

Neste domingo, às 9 horas, com o pastor Delmo Fonseca.

COMUNIDADE CRISTÃ GRAÇA E VIDA
Av. Dom Hélder Câmara, 7962 - Piedade – RJ


quarta-feira, 12 de setembro de 2018

O CRENTE “NUTELLA” E A PAIXÃO PELO TORTUOSO




por Delmo Fonseca |

Na primeira estrofe do “Poema de sete faces”, Drummond se vale do seu “eu-lírico” para dizer:
“Quando nasci, um anjo torto
desses que vivem na sombra
disse: Vai, Carlos! ser gauche na vida.”

Ao citar os versos do grande poeta itabirano no prelúdio desse texto, pretendo destacar apenas a predileção que muitos têm pela “esquerda”, ainda que desconheçam o verdadeiro sentido do “esquerdismo”.  Drummond sabia das coisas. Até mesmo o anjo conselheiro do seu “eu-lírico” pendia para a esquerda, o que necessariamente o aconselhava a seguir nesta direção: “Vai, Carlos! ser gauche na vida.”  O poeta se utiliza da palavra gauche - um estrangeirismo francês que corresponde a “esquerdo” em nosso português-, para delinear seu destino na vida.  Dessa maneira, ser de esquerda corresponde dialeticamente a pender-se para a “negação”, um dos lados da contradição.

Todo esquerdista convicto sabe que a verdade pode ser atropelada e negada em nome da revolução. Se em sua cosmovisão os fins justificam os meios, por que se importar com a justiça? A lógica, nesse caso, também precisa ser torta a fim de justificar o injustificável. Por esta razão compreende-se porque os inclinados à esquerda mandam às favas a lei, a ordem e a retidão.  Anarquia, baderna, caos e autoritarismo reforçam o modus operandi dos que defendem um mundo torto.  

Sendo assim, o que faz um cristão se apresentar como esquerdista? O que faz com que um pastor defenda uma “teologia” de esquerda? Há duas respostas: desconhecimento do que realmente é o esquerdismo ou deliberado prazer em pender-se para o que é torto. A questão não se trata de uma predileção por este ou aquele partido político, mas por esta ou aquela cosmovisão de mundo. Se no esquerdismo não cabe a ética cristã, por que no cristianismo caberia a lógica esquerdista? Somente crentes “nutellas” veem semelhanças entre Marx e Jesus.

A questão é mais séria do que supõe o cristão indiferente, que não desce do muro e defende o “tanto faz”. É preciso saber que a Palavra de Deus prima pela retidão: “Abominação para o Senhor são os perversos de coração; mas os que são retos em seu caminho são o seu deleite” (Pv 11.20). Aos crentes “nutellas” resta o caminho do arrependimento, pois o evangelho anuncia que “quando vier o Filho do Homem na sua majestade e todos os anjos com ele, então, se assentará no trono da sua glória; e todas as nações serão reunidas em sua presença, e ele separará uns dos outros, como o pastor separa dos cabritos as ovelhas; e porá as ovelhas à sua direita, mas os cabritos, à esquerda”. (Mt 25. 31-33).

Soli Deo Gloria!


terça-feira, 11 de setembro de 2018

“Ídolos modernos: o ressurgimento da espiritualidade pagã”


I CICLO DE PALESTRAS TEOLOGIA & CONHECIMENTO
Tema “Ídolos modernos: o ressurgimento da espiritualidade pagã”
Ídolo é tudo aquilo que ocupa o lugar de Deus no coração do homem. A propósito, segundo Calvino “o coração do homem é uma fábrica de ídolos”. Partindo desse princípio, a Comunidade Graça e Vida promoverá a 2ª edição do I Ciclo de palestras Teologia & Conhecimento, com o tema “Ídolos modernos: o ressurgimento da espiritualidade pagã”. Na oportunidade o pastor Delmo Fonseca analisará como a retomada da espiritualidade pagã a partir da renascença, passando pelo deísmo iluminista e culminando nos deuses da nova era, tem moldado a cultura contemporânea e de que maneira o cristão deve confrontar esse neopaganismo por meio do evangelho.

COMUNIDADE CRISTÃ GRAÇA E VIDA
Av. Dom Helder Câmara, 7962 - Piedade/RJ
Sàbado, dia 22 de setembro às 16h.